3 de mai de 2012

Contagem Regressiva.



OI!!!!!!!
Muita gente sabe que moro desde Janeiro de 1981 em Bauru, interior de São Paulo, onde trabalho e atuo na área de Pesquisa. Nesses 30 anos que estou morando fora de minha cidade, o lugar onde cresci aprendi muitas coisas sobre cidades grandes e pequenas, entre as coisas que aprendi  estão questões relacionadas a “qualidade de vida”, respeito, custo de vida, educação, comodidade, emprego e relacionamentos. A cidade onde cresci é Rio Claro, uma pequena cidade no interior de São Paulo. Rio Claro fica a 174 Km da capital, São Paulo e a 185 Km de Bauru onde estou morando, em alguns lugares, há falando que Rio Claro está a 181 Km de São Paulo e 185 Km de Bauru, mas enfim, isso é irrelevante para o texto. Rio Claro tem  200 mil habitantes, ou seja, nem tão pequena assim. Em contrapartida, Bauru passa com folga dos 350 milhão de habitantes. Rio Claro é uma cidade plana, para qualquer lugar eu conseguia ir, sem dificuldades, a pé, enquanto meus familiares de bicicleta que em alguns casos se mostrava ser mais rápido que de transporte público. Bauru é cheia de altos e baixos e longas distâncias, entre minha casa e hospitais e espaços que atuo em terapias vivenciais meu trabalho por exemplo são mais de 12 Km só de ida, sem contar que preciso atravessar 2 rodovias, 1 via de trânsito rápido(ou duas, depende qual caminho eu tomo), impedindo,que eu va a pé. Já que aqui seria impossível andar de bicicleta (eu) rsss..Isso tudo tem haver com “qualidade de vida”. Em Rio Claro eu trabalhava relativamente longe de casa, do outro lado da cidade, entrava as 08:00 h da manhã, acordava as 07:30h, tomava café da manhã e em menos de 10 minutos estava no meu trabalho a pé. Eu tinha 1 hora e meia de almoço, levava 10 minutos para ir e mais 10 para voltar de casa. Almoçava sempre uma comida feita na hora, que consistia geralmente em arroz, feijão, carne(vaca, frango ou peixe) e salada, ainda descansava, conversava com empregada, marido, lia e assistia televisão. Saia do trabalho as 18:00 e entrava na escola as 19:00, mesmo assim, conseguia jantar em casa. ainda chegar em tempo na escola. Resultado: Eu comia bem, fazia exercícios, não sentia fome e pesava 55 Kg, sem regime nem esforço. Quando mudei para Bauru minha rotina mudou e nesses 30 anos ganhei 28 Kg, mesmo tendo todo conhecimento da educação alimentar de exercitar muito o corpo, tenho uma vida bastante agitada porem saudável., mas parece tudo mais difícil e complicado. Sem contar que tudo é mais caro aqui, se eu quisesse fazer acadêmia em Rio Claro, encontraria acadêmias baratas, , , sendo que aqui em Bauru não encontro por menos de R$180 em planos anuais, onde você tem que deixar cheque. Ah, mas cidade pequena não tem muita coisa pra fazer... Bem, baladeiros de plantão, Rio Claro tem barzinhos, baladas, clubes, shows, e Piracicaba é do lado, assim como Campinas também é pertinho. Realmente o Cinema de Rio Claro é horrível, tem um sistema de som ruim, cadeiras apertadas e um atendimento medíocre, pois até pipoca fria me serviram da última vez que fui, em Dezembro de 2010,vistar ou seja, a quase 1 ano e meio, mas nada que seja insuportável. Insuportável inclusive é o atendimento que as empresas prestam as pessoas em Bauru, mecânicos que fingem que fazem revisão no veículo, atendentes de lanchonete que não prestam atenção a seu pedido e fazem tudo errado, escolas de informática e de inglês que enganam seus clientes, abusando da boa fé dos mesmos. Sem contar que, em uma cidade “do porte de Bauru” as pessoas esbarram em você e não pedem desculpas e o trânsito é um inferno. As pessoas são MÁS no trânsito e não ingênuas ou apenas motoristas sem noção, as pessoas fecham os outros para amassar o carro, derrubar da moto, machucar e dar prejuízo. Sem contar que em uma cidade como Bauru, os motoristas nos dão a impressão que morrerão caso percam 30 segundos esperando em um PARE. As escolas aqui são piores que em cidades mais pequenas, poucos pais vão às reuniões dos filhos e os que vão, muitas vezes nem prestam atenção. Em algumas escolas, alunos ficam meses sem professores e os pais nem sabem. Ou os professores não ensinam nada, apenas enchem o caderno com ditados e cópias inúteis. As escolas particulares são caras e inacessíveis para a maioria das pessoas. Em relação aos empregos, aqui em Bauru há muito emprego, muita oferta, pouca gente qualificada para o que as empresas pedem. Em Rio Claro, a quantidade de empregos é mais limitada, mesmo assim, acredito há empregos que pagam bem em cidades pequenas. Mesmo pagando mais, as cidades do porte de bauru tem um custo de vida muito maior, com médicos, supermercado, aluguel e entretenimento. A comodidade daqui está em serviços 24 horas, supermercados, pizzarias, padarias e outros, que funcionam até quando a maioria das pessoas está dormindo. Mas essa é uma falsa comodidade, uma vez que raramente usamos esses serviços e quando usamos, ele não é realmente necessário.Os relacionamentos são mais complicados, é mais difícil sair com os amigos, eles moram longe, sempre estão sem tempo – e isso não é específico para você que nunca tem tempo de sair comigo quando eu chamo, isso é uma generalização – mesmo quando mora-se na mesma casa a correria atrapalha a convivência, saímos cedo, chegamos tarde, trabalhamos muito, é um corre-corre.Eu durante todos estes anos , sinto saudades da minha cidadezinha, a minha cidade azul, com todos os seus defeitos e suas qualidades.Cada tipo de cidade, a grande e a pequena, têm suas vantagens e desvantagens, para que gosta de corre-corre, Rio Claro é uma monotonia, para que gosta de tranquilidade, Bauru é o inferno. Isso por que eu nem comentei sobre São Paulo, uma cidade que praticamente não dorme. Se já fico estressada aqui em Bauru, não quero nem pensar como seria em São Paulo, uma cidade que no momento está fora de minhas ambições de moradia só para trabalho mesmo. As vezes, pensava em voltar para Rio Claro e em outras vezes, as falsas comodidades aqui de Bauru, me seguram. Mais agora tudo esta decidido estou voltando.
Fico por aqui, com minha saudade de todos.




Fotos antigas 1978 Rio Claro!!!!
"Dei minha juventude e minha beleza aos homens. Agora dou minha bondade e minha experiência aos animais. " Brigtte Bardot.








"Quando se é capaz de lutar por animais, também se é capaz de lutar por crianças ou idosos. Não há bons ou maus combates, existe somente o horror ao sofrimento aplicado aos mais fracos, que não podem se defender."Brigitte Bardot



Pena que na maioria das vezes a gente quer tomar uma atitude quando se já passou a oportunidade, quando não a se tem mais.


"O tempo passou e veio com ele o amadurecimento de q ñ existe amor de verdade se ele ñ for cravado nas limitações e nos defeitos do outro." Elenita Rodrigues




xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


IDADE E SENTIDO DA VIDA



CADA IDADE TEM A SUA PERSPECTIVA DE VIDA




A idade altera a forma como se sente a vida. A juventude envolve sonhos e ilusões, optimismos e uma intensidade de sentimentos que os mais velhos não têm… A passagem da juventude, à maturidade e à velhice, envolve experiências, verdades, reflexões novas, que alteram os nossos valores e a forma como vemos e sentimos a vida. Nenhum jovem acredita realmente que alguma vez venha a morrer. William Hazlitt, 1778-1830, ensaísta britânico, The Feeling of Immortality in Youth Recordo-me da minha juventude e do sentimento que nunca me abandonará - o sentimento de que eu podia durar para sempre, e ultrapassar todos os mares, e toda a Terra, e todos os homens; o enganador sentimento que nos chama às alegrias, aos perigos, ao amor, ao esforço vão - a morte; a triunfante convicção de força, o calor da vida na mão cheia de pó, a chama do coração que depois se esbate a cada ano, tornando-se fria, diminuindo para finalmente expirar - expirar demasiado depressa, demasiado depressa - antes da própria vida.Joseph Conrad, 1857-1924, escritor anglo-polaco, Youth  Há sempre um momento da juventude em que a porta se abre e o futuro irrompe  Graham Green, 1904-1991, escritor inglês, The Power and the Glory A vida já está a meio quando começamos a perceber o que ela é. George Herbert, 1593-1633, poeta escocês, Jacula Prudentum Cada idade possui as suas verdades, as suas experiências, os seus segredos. E. Morin, sociólogo e filósofo francês, Método V








Nenhum comentário:

Postar um comentário