8 de mai de 2012

QUEM E´VOCÊ???????





Pessoas "fracas" sempre estão vitimizado!!! 

Se a pessoa demonstra ser fraca, frágil, aparece um bando de gente para paparicar, ajudar, proteger. Mas se a gente demonstra superar os problemas, os revezes da vida, as mesmas pessoas que protegem os supostos frágeis, vem direto no seu ouvido dizer: - Ahhh você é forte, já superou tanta coisa, vai superar isso também! - Pois é! Já notaram que eu sou do lado das pessoas que demonstram ser fortes (nem sei se sou tanto assim), por isso estou aqui para reclamar, como de costume... rs Geralmente pessoas frágeis são GRANDES MANIPULADORES. Sim isso foi um grito! Fracos de verdade são poucos e quem realmente é fraco, normalmente tenta esconder isso. Quem faz propaganda de fragilidade, quem abre o bocão para reclamar de qualquer coisa, quem chora e se descabela, são mesmo os grandes manipuladores. De fracos não tem absolutamente nada! Querem vida mansa, gente para colocar a mão na massa por eles e paparico, muito paparico, estão sempre no controle de tudo.Acho que daí vem minha preocupação por gente mimada! Os mimados normalmente tem boa autoestima e preguiça de viver, se acomodaram na posição de coitadinhos para que os outros resolvam seus problemas. Afinal estão acostumados assim! É serio, gente! Tenho desvantagem  por sempre demonstrar que posso resolver minha vida. Eu queria saber me fazer de coitada! E não foi à toa que coloquei a foto da Clara, da novela Passione, nesse post, uma vilã que era excepcional na arte de se fazer de vítima. Até os homens que atraio de uma certa forma estão interessados em um porto seguro. E não quero ser porto seguro para homem, cansei desse papel. Mas quando vejo lá estou eu levando todo o relacionamento, cuidando das coisas práticas, muitas vezes tratando o cara como filho. Trabalhei  isso em mim, essa tendência que tenho de tomar a frente das coisas. Depois ficava reclamando que ninguém andava junto comigo, que ficam se encostado em mim. Também  não deixava o cara se virar! Mas tenho aprendido nesse setor e espero aprender cada vez mais! Feliz da mulher que sabe se fazer de coitada na hora certa! Igualzinho a Clara! Essas não sustentam homem, não ficam levando bebezões nas costas. Conseguem tudo dos caras e eles ainda acham que estão com uma mulher fantástica do lado.
No mundo você é o que aparenta. Se aparenta ser fraca, vai encontrar gente para te ajudar, te paparicar. Se aparenta ser forte, vai encontrar quem queira montar nas suas costas para descansar as pernas. É assim que o mundo funciona.Revoltada? Eu? Imagina!! rsrs. Estou só puta por ser correta. Um dia ainda me torno uma das vilãs que tanto gosto.



Envie para renatacbauru@hotmail.com


Eloiza Carvalho disse...
UAU, que post "desabafo", adorei!!!
Sabe Renata, é difícil "carregar" problemas dos outros mesmo. Eu vivo sorrindo (opcional...rs), e daí todo mundo acha que é porque estou "legal". E não, as vezes não estou. Família então... sou a que "tudo resolve, tudo aguenta"... e isso as vezes me deixa furiosa! Não é porque estou sorrindo que não tenho problemas... Canso de dizer: "se chorar adiantar, preparem os botes!!" PQQ!!! Estou longe de ser a "coitadinha frágil", mas confesso que adooooooooooooooro um colo, um dengo, um ombro... é difícil ele aparecer...kkkkkk Porque eu é que normalmente "sirvo" disso!!!! Aff!!!
Mas já tive alguns "bons momentos" de "bibelô"... rsrsrs Me deu até "inspiração" para escrever sobre isso! Bjks


Maria Silma M disse...

nooossaaa!! Quantas vezes me vi resolvendo tudo e totalmente revoltada por isso. Mas você tem razão...isso só acontece porque a gente acaba tomando a frente e quem é que não gosta de uma molezinha né? Temos que parar com isso urgentemente!! Bjss


Neusa disse...

Achei super vc dizer que "quem realmente é fraco, normalmente tenta esconder isso", pessoas frageis geralmente não são nada frageis, são sim é espertas. Também gostaria de ser mais vilã e menos usada pelas pessoas, menos usurpada, daí o fato de que me estendo em uma solterice cronica, tenho imã para homem que precisa de mãe e isso não posso aguentar... Já tenho compromissos sobrando para arrumar mais um!
E sim, uma das minhas amigas diz que mulher tem que saber dar uma de besta, de burra, de sonsa para viver um relacionamento, sinseramente, para mim isso não da... não, decididamente não sou uma feliz mulher que sabe dar uma de coitada!


Luly! disse...
Concordo COM TUDO.
Posso colocar esse texto lá no estranho mundo?Cm seus créditos lógico!


moya disse...
Eu tive uma dentro de casa e vc sabe disso, sei muito bem como é que age esse tipo, tirano, mimado... que ódio viu??Detesto também quando me dizem que eu sou forte, ah eu heim!! Forte é o cacete, a gente aprende é a se virar sem ficar pedindo ajuda a Deus e o mundo!!Quanto aos homens, tenho a mesma sorte que vc, por isso agora eu ando meio "desistida" de relacionamentos... hehehe!!Beijos!!



Thainara disse...

Renata... eu sei EXATAMENTE do que você tá falando e olha... EU TÔ MUITO PUTA COM ISSO.
eu escrevi sobre isso no ultimo post, porque véi o povo "supõe" que a gente é forte, que é de ferro, que é super muralha e diz "Opaa, vamo brincar de tiro ao alvo" ¬¬Odeio pessoas boazinhas, mimadinhas, frageizinhas, que ficam chorandinho pra chamar atenção e daqui a 5 MINUTOS tão rindo pra se acabar. porra, cadê a tristeza e o sofrimento? passou foi? meucúné.Também odeio esse meu orgulho, que me impede de ficar rastejando e chorandinho atrás do povo por pena e piedade... embora eu saiba que eu conseguiria muito mais coisas na vida assim. Merda de dignidade que não me abandona! Neeeeeem comento sobre os relacionamentos! Tá a gente lá, super necessitada de carinho e atenção, e a criatura começa com a bipolaridade e sobre pra quem sair puxando e arrastando a relação? pra "muralha da china" aqui.E a gente que realmente tá necessitada de carinho, se vê dando carinho e ajudando uma outra pessoa, que provavelmente vai fazer merda com a gente quando se "recuperar" e vamos ficar sozinhas novamente, num raio dum circulo vicioso que parece que nao acaba nunca.Eu só quero uma coisa da vida, perder a consciência. Pra poder manipular, enganar, me fingir de coitadinha, conseguir tudo que eu quero da forma mais facil e baixa possivel, e ainda dormir a noite sem peso na consciência. Foi mal o texto, mas não tenho dinheiro pra terapia e tô aproveitando qualquer chance de desabafo que eu tenho! Beijos e façamos valer =D


Gardenia Audrei disse...

Olha! Conheço uma que é campeã em se fazer de vítima e coitadinha. Só apronta, só faz burrada, intriga, confusão... aí vem toda chorosa,e todos passam a mão na cabeça dela, dão apoio, ajudam. Então, ela vai e faz tudo errado de novo e começa a mesma ladainha. Um círculo vicioso, só vai aprender quando alguém resolver dar um basta nesta figurinha. Aliás ao meu redor tenho vários tipinhos como este, mas eu não dou muita atenção não. Quero distância.Bj.


Jhulia disse...
kkk Como diz o ditado se faz de coveiro para comer o fiofó do morto, kkk quando eu li mentes Perigosas, Ana Beatriz. aprendi que pessoas que chegam se fazendo de vitima e que tudo acontece com ela, certamente esta pronto para dar o bote, esse negocio de dizer ah eu não saiba, não sei fazer, não sei por que todos me odeia, isso é coisa de gente forte realmente que esta pronto para dar o bote e esconder a unha kk. bjo se cuida.



Lucia disse...
Mais um post magnífico, menina.
Pois é,até os "fortes" precisam de colo. Lendo seu post,me peguei pensando no pq as pessoas acham que não precisamos ser acarinhadas.No pq as pessoas não nos dão o direito de "cair", chorar, gritar.
Será que elas não dão´ou, somos nós mesmas que não nos permitimos?Tenho uma amiga que diz que, depois dos 45 anos, podemos tudo...levei essa frase a sério e comecei a praticar. Qdo me sinto frágil, mostro essa fragilidade, mas...ainda escuto das pessoas: Poxa, o que é isso, vc sempre foi tão forte ou tá virando uma "velha" fraca?!Não, nem sempre fui forte e muito menos me sinto velha...são vcs que nunca tiveram a percepção exata pq era muito mais fácil se esconder atrás de mim.E assim, vou tentando me permitir SER, apenas SER. Bjs meus !


Loy  disse...
Eu penso que todos temos nossas fragilidades e cada um sabe lidar com ela a sua maneira.
Alguns tornam-se manipuladores e se aproveitam dessas fragilidade, ou até criam supostas fragilidades, outros se vestem de super heróis e, ainda há os como eu, que sentem tudo, até a última gota. Estes, as vezes cai, mas logo se levantam. Olha, não me importo de parecer frágil, quando realmente estou, mas também não gosto que tenham pena de mim, aliás, detesto isso, então a diferença é essa, ser frágil pode até ser, mas não se aproveitar ou se fazer de coitada.Agora é óbvio que um colo é super bem vindo nos momentos tensos, mas em geral, prefiro estar só. Lido melhor com o problema. Bju


Luna  disse...
Rs
Nas novelas eu SEMPRE torço pelas vilãs.
Um beijo.


Jana disse...

ME indentifiquei com cada letra do seu texto... todo mundo acha que porque eu não me pareço com um vasinho de flor que está sempre bonitinho e no lugar eu posso carregar tudo nas costas...O problema é que nosso comportamento atrai gente que quer se encostar... o problema é que quando a gente quer se encontar em um ombro e chorar, todo mundo acha que a gente está fazendo cena...
Aff... compartilho da sua revolta!


Suzy disse...
Esse desabafo serve pra muitas pessoas , incluse pra mim, porque ser forte nos leva por um caminho muito perigoso, o de querer ser perfeito, agradar a todos e esquecer de si, gerando uma ansiedade excessiva, mas tô tentando mudar, e vou coseguir!


Lo disse...
Olha vou tentar não me estender , e falar o que acho em poucas palavras.......... ce ta certissima, acho que são é fingidas , e boas vidas e depois se fazem de coitadas pq não conseguem alcançar quem luta d efato, ando ''escovada '' com o tipo e nem brava to! bjs Ah e quem gosta de porto seguro ando mandando morar no cais do porto rsrrs pq minha amiga essa coisa de servir pra escorar não me pega mais não e isso f=vale pra todos os tipos de boas vidas ops fragieis....bjsssss


Eliza disse...
Eu sou frágil,e sempre escondi minha fragilidade atras de uma capa de força onde muita gente acavalou em minhas costas...Corretíssimo esse teu post!Passando pra te desejar uma linda semana e uma Páscoa cheia de luz e chocolates pra vc e os seus. Bjkas


Lú disse...
Agora eu lembrei de como quero ser mãe tanto do meu marido quanto da minha filha a ponto de sufocá-los e ver endereço dos lugares onde eles têm de ir... mas eu sou mãe apenas nisso porque não lavo roupa e nem cozinho... só ligo para eles no celular para saber se estão bem... e isso já é proteger demais. Eles nao gostam que eu faça isso. Preferem quue eu cozinhe ou lave roupa... Uma confusão...Eu acho que fraca eu não sou... ou até sou um pouco... como tenho variações de humor...rsVocê não respondeu se dá para te chamar de Re ou não.Na dúvida vou chamar deRenata. Se não for para chamar me avisa.Beijos!


Nice B. S disse...
Re,(pode?)

Eu queria ser Clara. Ah, eu queria sim, menos a parte de matar o Totó.Também já percebi: tem mulher que leva a vida na boa, sem stress, e é mega valorizada. Isso pra falar só de relação homem-mulher. Porque se entrar na esfera familiar, a coisa é muito pior. Sei muito bem como é.Ah, eu também gosto mais das vilãs. Sou má? Beijosssss


Cyntia disse...
Bom, não assisto novela, mas tenho uma manipuladora em casa: minha filha menor. Aos quatro anos é uma grande atriz. Eu fico louca com ela, ralho e digo que ninguém gosta de choronas...talvez esteja errada.O negócio é saber dosar. Agora, o que ajuda muito é ser atraente, sabia? Já ficou provado que as pessoas bonitas tendem a receber mais ajuda que as feias...que fazer? É um mundo cão esse! E se a pessoa ainda souber fazer charminho então, saí de baixo!bjs

De tudo disse...
Ré eu era exatamente assim com você...a fortona...cansei...chutei o balde literalmente...
continuo sendo independente..e forte, mas vez ou outra sou a fragilidade em pessoa..quando me convém é claro...rsrrs beijocas



Fernanda disse...

Detesto gente que se faz de vítima! Começa a sentir pena de si mesma para atrair a tenção e a pena dos outros tb.Falta do que fazer...Super apoio este post!!!


Linara disse...
"quem realmente é fraco, normalmente tenta esconder isso"... pois é, concordo plenamente. E não consigo me comover com gente frágil... pra mim é um modo de manipular pra q os outros façam o q a pessoa quer por pena, por cuidado, sei lá.E gente como eu, q prefere não demonstrar suas fragilidades pra maioria, acaba se fudendo né... pq vem todo mundo em cima sem dó nem piedade, afinal gente forte aguenta tudo... e nem é q eu seja forte, é só q prefiro não demonstrar fragilidades pra qq um.adorei o texto;)


Juna Maciel R disse...
Uia!!! rs
Eu normalmente sou bem decidida e resolvo logo as coisas. Aqui em casa, por exemplo, ganhamos um ventilador de pé, alto. Esperei só um dia para q o marido montasse. Não montou? Peguei e montei! kkkkSó q tem dias que chego e falo "Hoje eu quero ser mimada e só!"Eu assumo os dois lados, mas tbm não fico dependendo mto de homem pra não passar raiva, viu? Mas não deixo montar tbm, claro! rsss Beijo


Eu sou  disse...
Renata, quando vc diz que quem é fraco sempre encontra alguem para ajudar e os fortes alguem para se encostar, falou frase que deveria ser épica. Eu não deixo se encostarem em mim anymore, porque já fiz isso e só tomei na cara. A mesma pessoa que se encostou cuspiu nas minhas costas depois se fazendo de coitada pra os outros, levando uma legiao para se opor contra mim. O pior é que essas pessoas são muito parecidas com a Clara, apesar de não ver TV, essa novela eu assitia so por causa dela. Porque mesmo caracterizada, exagerada, a personagem mostrava que os seres que se fazem de frágil, "tentando ser fortes" tipo, eu "levanto, mas sou tao sensivel que caio de novo, alguém me ajuda?" são cruéis, muitas vezes subordinando as pessoas sem sequer pensar no mal estar que geram, fazendo aqueles que gostam de ajudar se sensibilizar com sua situação e muitas vezes acabando sendo atingidos pelo perrengue do outro. Porque quem ajuda de coração sofre e sente junto. Eu tamb´m demonstro ser a forte que sou, isso não me ajuda em nada..´. o único bebefício que tenho com isso é conseguir encarar os problemas e solucioná-los sem precisar esperar, e sem arrastar ninguém para o inferno comigo. Belíssimo post!Bjs e boa semana


Daria disse...
Também não gosto do gênero "mulezinha" e combato veementemente a "mulezinha" que existe dentro de mim e de todas nós, mas não acho que todas as pessoas que demonstram fraqueza são manipuladoras. A maioria só gosta de chamar atenção e atrair o cuidado alheio.beijo


 Galvania disse...
Posso ser considerada forte, e muitas vezes me senti usada por isso. Eu mesma tomo atitudes que levam os outros a crer que sou indestrutível,"A Destemida", mas hoje , aos 41 (acho que foi até cedo), aprendi a mostrar um pouco minhas fraquezas, não me fazer de coitada (argh!). Ao me mostrar mais, tenho encontrado parcerias e trocas. Não só apoio, mas outras formas de ver as coisas e uma certa identidade. Um caminho novo, não menos árduo, parece-me , que mais claro, ainda não sei definir.
PS: Também detesto coitadinhos!



Moya disse...
EXATAMENTE o q eu penso. Canso de ser assim ... mas sou assim rsrsrs. Um dia a gente aprende. Beijo.


Keila R disse...
Jesus, Maria e José! Vc falou comigo nesse post... as vezes me sinto mãe do mundo e fico com preguiça, sim, preguiça de ter os meus próprios filhos. hoje seu post foi minha terapia 0800.bjs


Paola disse...

Oi Renata, assim que começei a ler o post, me veio logo na mente a ex do meu marido. Ela adora se fazer de coitadinha e é um pé no saco.No meu caso, tento manter um euqilibrio entre ser forte e frágil e acho que tem dado certo. Sou forte quando precisa, mas não carrrego o mundo nas costas. Não sou de ficar pedir nada a ninguém, reclamando da vida ou me fazendo de coitada. Faço o melhor que posso pelo meu marido, mas espero retribuição na mesma medida.Bjs


 Pontes disse...
eu tbm ja fui assim ,, ate q um dia cansei e mandei todos catar coquinho,... se deixar eles se acovardam da bondade da gente, hj me sinto mais leve aprendi as duras penas, mais valeu,, queres pega, quer melhor faça.. e assim vai bjs adorei seu blog


Kilia disse...
Na verdade, sou a mãe na relação... Sempre estou a frente da pessoa que caminha comigo... Você disse a palavra certa: 'tratar o companheiro como filho...'Já pensei em estar fazendo o errado, porém não consigo deixar que os outros sejam os mais fortes... É uma ambivalência que me deixa frustrada, às vezes!!! Porém, sempre temos aquilo que procuramos... Portanto, não adianta reclamar... Ou tentamos nivelar a atual situação ou deixemos ser tratadas como as "mãezocas"!!!Beijos!


Celina disse...

Renata,
concordo com o seu post.Eu sempre " aparentei" ser forte e vivi a minha vida toda me ferrando por causa disso. Principalmente nos empregos. Porque não choro. Não descabelo...Já as mocinhas frágeis, essas sim, sempre ganharam a simpatia dos chefes e etc e tal....As pessoas gostam de pessoas " frágeis" para poderem se fazer de " fortes"...rs No fundo os " coitadinhos" são grandes manipuladores. Uns chatos !Quanto aos homens, prefiro ser protegida. Muito ruim um homem que fica se fazendo de coitado. Ninguém merece.
Sim, os " fracos" tem uma grande força. É paradoxal, porém verdadeiro. E você tem um bom conhecimento do ser humano...rs Beijos


Menininha  Sim! disse...
Eu tb não suporto gente que se faz de coitada. Por isso, eu sempre digo que á vida só é dura para quem é mole.Meu ex-namorado tinhtem que ter ATITUDE e ir à luta para o que quiser.Quanto ao seu comentário no meu último post, obrigada por deixar sua opinião.Bjoa mania de reclamar que o mundo cospirava contra ele. Em vários sentidos eu o carreguei nos meus ombros, mas cansei. Nunca mais quero alguém desse jeito ao meu lado. Principalmente, porque acho que homem  são todos iguais

Floriza ♥ disse...
Talvez por isso eu tenha feito um blog usando o nome "Florizinha", assim como você.
Quando o meu namoro acabou e eu me vi tão fraca, tão vulnerável, tão maluca como eu nunca tinha ficado, as pessoas fizeram tão pouco caso, falaram coisas do tipo: Nossa, logo você que é tão bem resolvida (Piada, viu). Meu pai me falava até pra parar de chorar que aquela não era a filha dele. Vesti a carapuça depois de um tempo e hoje eu "estou bem" para o mundo, e é só no blog que eu posso vomitar todas as minhas fraquezas e loucuras sentimentais. rs  Beijos da Flor

Anne*:. disse...

Eu ODEIO gente que se faz de coitadinha, que fica fazendo tempestade num copo d´água só pra ser bajulada. Meu marido mesmo vive reclamando que eu sou fria, que tenho pose de durona o tempo todo. Mas é pq reclamar não adianta. A gente tem q ir atrás, não se deixar abater. Por outro lado, esse tipo de atitude nos faz parecer autosuficientes e dificilmente uma mão nos eh estendida.. complicado, mas ainda prefiro ser assim.Bju grande!


meu cantinho disse...

Olá Renata!!! Eu sempre adoro seus post, esse então...
Eu sempre fui a conselheira, a "ombrista", aquela que ajuda sempre quando pode, ou não. Agora cansei. No trabalho por muito tempo, exerci funções que não eram minhas, foi bom porque aprendi muita coisa, mas Hoje existem mais de quatro pessoas que exercem tais funções e recebem a mais por isso, e eu...bem feito. Mas não gosto de reclamar, as pessoas só fazem com a gente o que nós mesmos permitimos. Em família, a mesma coisa. Hoje (um pouco tarde) cheguei a conclusão que tenho que viver a minha vida, cuidando do meu filho sem esquecer de mim, e viver com meu marido de maneira igual, um cuidando do outro e os dois cuidando da casa, do filho e dos problemas. Um respeitando as fraquezas do outro sem fazer disso um drama ou uma arma de negociação. Aliás, meu marido odeia mulheres fracas que ficam a espera de alguma coisa acontecer.... Muita gente coitadinha se aproveitou da minha boa vontade e do meu tempo. Não quero mais. Quero amigos de verdade. Não consigo agir como a Clara, seria uma mudança muito forte. Mas de agora em diante vou pensar mais naquilo que for melhor para mim. Um passo já dei faz tempo: não consigo deixar de dar minha opinião em qualquer assunto em discussão. Se é para falar a verdade eu falo. Não venham se lamentando.....como diz uma tia minha, eu não tenho mais idade nem paciência para chororôs. Bom final de semana prolongado.Desculpe pelo tamanho do comentário...mas você, com seus posts, tem esse dom de nos fazer escrevre...escrever...bj


Nina disse...
Dessa vez tenho que concordar com cada palavrinha Dama! Vc tá coberta de razao.E gente fraca, de fato, nao demonstra fraqueza... Sabe que eu qd pequena era assim? Tenho vergonha dessa fase, mas é a pura verdade, eu tentava manipular minha mae e me mostrar fraquinha era minha única saída, afinal mamae tinha (tem, gracas a Deus)5 filhos, e todos pareciam bem melhores do que eu, em tudo! aí a coitadinha aqui que já era desde bebezinho doente e chorona, descobriu que essa era a única arma contra a beleza e coragem dos incríveis 4 irmaos. E foi por um bocado de tempo que consegui a atencao da minha mae... até que cresci mais e tive que me virar sozinha. E aí foi que notei o qt sou forte! Cara, eu sou um touro e eu nem sabia disso.  Mas aí caio na mesma situacao que vc, tbm viro maezona de todo mundo!
Ai ai, dificuldade viu? Um bj linda Renata!


Justina disse...
Nossa, Ré!
Eis um post que eu gostaria imenso de ter escrito, cara.É exatamente o que eu penso, sabia?Gente fraca, realmente, fica quieta, não se manifesta nem nada. Gente manipuladora, covarde, falsa, é bem diferente. Um lixo. E como tem, né? Vejo todos os dias, toda hora, todo momento. E cada vez mais vou tentando aprender a identificar o quanto antes essa gentinha. Gentinha nojentinha. Affe.......!!!!!!!!!!
Belo post, caríssima. Beijos

Alice Escobar disse...
Complicada esta questão Renata... Acho que a vida te fez ser forte demais, de forma que a fragilidade te assusta e te assombra. Mas cada um é moldado por sua experiência de vida e ambiente... E há muuuuita gente fraca por aí. Mesmo os fortes, em muitos momentos, têm extrema fragilidade.
Abs



Ju disse...
Tenho discutido muito isso com uma amiga recentemente... além das "coitadas" as "bestas" também se dão muito bem na vida...As pessoas ficam achando que estão enrolando os bestas e eles só quietinhos conseguindo as coisas por debaixo do pano.Queria muito ser as duas coisas! Coitada e besta.Além disso, queria ser irresponsável... os irresponsáveis também sempre conseguem tudo de mão beijada. Principalmente dos pais... porque estes querem que os filhos consigam algo na vida... então, achando que eles nunca vão batalhar, acabam "dando dudo de mão beijada". Se nunca gostou de estudar... desejo de que estude e passe para uma universidade federal... imagina! Já pressupõem que se vai pagar uma particular. Se não arranja emprego... monta um negócio e dá a ele... tudo organizado já pronto pra entrar, trabalhar e ganhar dinheiro...Revoltante!


Lordes disse...
Chego aqui para conhecer a blog da Renata e fico até preocupada de como vou colocar as palavras já que o motivo que me trouxe aqui é  de fato este.Sim pode até parecer interesse da minha parte, mas acho que quando estamos fracos temos que procurar ajuda  tem que estarem em equilíbrio e bem alinhado. Faltava poara isso conhecer você e olha que você me emocionou com o pouco que li neste post.Já conheço  a cidade de bauru  e não sou e nem tenho tempo de frequentar com assiduidade os blogs amigos e que gosto muito de seus posts, mas sempre faço a minha visita para dizer que estou viva. Hoje a rede socialajuda muito, mas caimos na mesma tecla que é o tempo.Sou uma pessoa que é e pensa como você e fico mais que puta de ser tão correta e é por isso que desabafo através de meus blogs.Em casa dizem que só se reclamar e agora me controlo e passo a reclamar para mim mesma. Bom estar aqui, te conhecer e um feliz .
dia dsas mães. Beijos


Lucia disse...
Ola! Sinceridade é comigo mesma, e odeio falsidade,vim visitar seu blog, que ainda não conhecia. Gostei de seus artigos e da sinceridade muito mais. Precisamos sim ter muito cuidado com as pessoas, seja no mundo real ou no virtual. Até por que, além das "fofocas" existe também os riscos, né? Vou precisar de umas dicas suas, porém mais tarde falo sobre elas. Bom, aproveito para te desejar um super dias das Mães  de "amor",  de Deus! Um grande abraço.


Solange disse...
Concordo plenamente:ser "vítima" é muito mais fácil.Falo isso porque já me sentí uma.

Nelson Piccoli disse...
O MUNDO precisa ler vc!
Show!
Acredito no equilíbrio nas relações! Beijos!


Lora disse...
Hoje,estou passando para desejar uma feliz dia das mães, cheia de amor e muita paz, junto de todos que ama. Um abraço com carinho,e boas energias!



Alexandra disse...
Deus me livre Renata, voce trocaria ser essa pessoa independente sem nenhuma vocação para coitadinha por umas dessas "manipuladoras" sedentas de atenção? Naaaaao...tenho certeza que nao!!Concordo que todos nos precisamos de carinho e atenção, e que os mais fortes e independentes acabam recebendo menos que os que gritam e se descabelam por eles.Mas tenho certeza que quando os recebem, eles sao vindos de pessoas que realmente querem te ajudar e te amam e nao por pura pena.Deus me livre, nao tenho a menor paciência com pessoas que usam o vitimismo para conquistar os seus objetivos e com certeza voce nuuunca sera uma delas, posso apostar nisso...rs.Agora, concordo que existam mulheres que transmitem uma certa fraqueza aparente sem no fundo serem fracas e isso com certeza atraem os homens, aquela delicadeza e manipulação sutil que funcionam super bem...rs.Renata querida, pelo que te conheço, voce precisaria encontrar um homem com mais personalidade que voce, auto confiante, daqueles que tomam as decisões na hora certa, pra te dar uma folga.Nao é facil de encontrar, imagino, mas existe!Nossa...me empolguei com esse comentário, adoro esse assunto e tenho que admitir que tenho um pouco dessa mulher sonsa dentro de mim...rs...upsss...to me entregando!!!Uma das qualidades que sempre procurei em um homem era que ele tomasse as rédeas nas decisões pequenas da vida, tipo onde ir, o que fazer..etc...sempre decidi tudo sozinha e nao queria carregar ninguém, ao contrario, queria que me carregassem de vez em quando.E finalmente encontrei, foi uma das qualidades que me chamou mais a atenção a primeira vista. Voce quando encontrar vai saber na hora e ele tera que ser homem com H para ser o seu parceiro minha querida!!!
Desculpe o enooorme comentário!!!Beijocas!!


Luiza Borba Gato disse...
Ah, menina! Que maravilha de post!
Os supostos "fracos" são, na verdade, grandes manipuladores, como vc mesma disse. É muito mais fácil alguém passar a mão na sua cabeça e fazer as coisas por você do que você ter que tomar as rédeas da própria vida...As pessoas acabam gostando da posição de vítimas e seguem a vida sendo paparicadas pelos outros.Também acabo assumindo a postura de forte sempre (mesmo que às vezes eu nem seja tão forte assim) mas não admito levar ninguém nas costas. Nesse ponto,. sou que nem cavalo bravo: corcoveio e dou coice até a pessoa desistir de tentar ficar nas minhas costas.Adorei o post!Bjs enormes!


 sonhos... disse...
Estou te seguindo...
queres passsar no meu cantinho e me seguir?UUUUUUUhuuuuuuu, hoje é o Dia Internacional do Livro e eu gostaria que vc me desse uma dica sobre algum livro de que gostaste...
Um forte abraço.


 sonhos... disse...
Voltei........... adorei teu texto das mulheres supostamente frágeis. Graaaaaaaaande sabedoria, concordo.

Florzinha disse...
Oi,Renata!Com certeza as coitadinhas são umas grandes manipuladoras e si melas se dão muito bem obrigada,elas conseguem tudo o que querem de mãos beijadas é bem isso mesmo.Não dá pra bancar a durona, a fortana porque dai a gente só se ferra.Beijosss


Analize disse...

Renata Cardoso
Concordo e discordo. Concordo quando vc reclama dos mimados. Achei sua definição perfeita! Penso assim também. Ô gente cansativa! Vejo algumas mulheres se fazendo de coitadinha, de frágil, até de burrinha e ainda ter o maior vidão! Ô, vida injusta!rsrsEnquanto isso, as batalhadoras,que vão à luta, determinadas (estou me incluindo hehehe) não têm moleza, nem aparece ninguém para estender a mão. Ô, coisa injusta! rsrs Discordo quando vc disse não ser tão forte quanto pensa. Eu te acho forte, sim. E muito. Muitas pessoas não teriam a força para dar a volta por cima de tantas idas e vindas da vida como você, Renata. E falo isso por tudo que tenho lido ali nos últimos anos.Tem tanta gente que é infeliz a vida toda, mas não tem coragem de mover uma palha para dar um jeito na vida. Vai levando esperando um milagre.
Me lembrei daquela frase do Lance Amstrong: "o sofrimento é passageiro, desistir é para sempre".
Ótimo desbafo esse!Assim, acho que coloquei seus pots em dia! =]
Um beijo e boa semana


Onora disse...
Concordo totalmente. Convivo com muita gente e me irrita. Mas tb nao tenho vocação para me fazer de vítima, apesar de ser filha única e mimada...rsrsrs. Detesto q sintam pena de mim e fiquem dando palpites sobre como devo agir. Fiz um balanço geral das férias. Confira. Bjs e fik c Deus.


Nelhy disse...
Essa sua revolta é super normal. Nossa, já passei por um período na vida onde eu era super usada justamente porque todo mundo sabia que tudo que fazia, fazia melhor, com mais capricho e empenho. Era na escola, faculdade, trabalho, até mesmo nas tarefas de casa.E o pior é que eu fazia tudo com amor, carinho e boa vontade pois não percebia que estava sendo usada (feita de besta mesmo), eu achava que estava sendo legal.Houve uma época em que eu morria de revolta por causa disso, graças a Deus consegui tirar esse ódio do meu coração. Por ser perfeccionista e fazer tudo melhor do que os outros, acabo me sobrecarregando e vivendo cansada e aborrecida. Por conta disso, já servi de agulha a muita linha ordinária... já fiz muita gente se dar bem às minhas custas, já colaborei para que muita gente ficasse descansando enquanto eu me matava.... dá uma revolta mesmo !Uma vez eu vi um programa americano onde o marido (que era um marido exemplar, que ajudava a mulher em tudo,era perfeito)resolveu fazer tudo errado para que a mulher parasse de pedir tudo pra ele. E não é que deu certo ? Ai ele disse "A regra do ouro, fazer tudo mal feito para não te pedirem mais."Eu queria ter aprendido essa regra do ouro antes. Me pouparia a vida e não me sentiria tão usada ! Talvez hoje eu não me sentisse tão revoltada !
E o pior é que quando a gente se revolta e toma uma atitude, é tida com má, ruim, ordinária, fingida, entre outras coisas piores. Parece que as pessoas não notam que chega uma hora que cansamos de ajudá-las e que chegou a hora delas andarem com as próprias pernas. Retribuir que é bom, nada, né ? Li seu post passado e te entendi perfeitamente.TODO mundo realmente faz um comentário maldoso.Quem disse que não faz e nunca fez, que atire a primeira pedra ! Um abraço !


Ló disse...
Oi, Ré!
Saudades dos seus posts! rs
Realmente, pessoas que se fazem de coitadas são uó ¬¬ O pior de tudo é que muita gente cai nessa e fica lá adulando o cidadão... Bjos


MMM. disse...
Tenho uma amiga que se encaixa perfeitamente no perfil de “donzela” a ser salva. Linda e exalando sexualidade (alguns a chamariam de “periguete”), consegue aglutinar em torno de si admiradores que a ajudam em vários afazeres e que se satisfazem com a simples possibilidade de "amor de recompensa". Esperta o suficiente para escolher com quem se aprazer e que dê retorno de alguma forma, nessa brincadeira, perdeu a chance de ficar com a melhor pessoa que lhe apareceu na vida porque achava que não iria ser pega. Até hoje, se lamenta pelo fato de ter feito a opção errada e de sua cabeça não sai o lamento doído feito por ele pelo telefone ao despedir-se dela, quando percebera que fora enganado. Forte exteriormente, ela foi fraca em ter cedido à tentação de demonstrar poder que sabia ter sobre os homens.


Jessica disse...
Por muitos anos eu fui coitada, mas para mim. Superar o coitadismo foi um trabalho duro, mas aprendi que sou forte, capaz e aí... Putz, virei outra pessoa, mais humana, mais humilde e mais feliz!


Morgana disse...
Putz! Concordo com você demais!!
Nada a acrescentar...Beijos!


Loyse disse...
Realmente, quando se faz de vitíma e mulher "coitada", sempre tem um babaca para bancar, agradar...
Agora qd somos mulheres independentes, guerreiras... quase sempre atraimos esses "merdas" que querem montar em cima, e pior, por não estarmos acostumadas a ser dependentes deles, acabamos achando "normal" as vezes certas atitudes nossas, de tomar a frente e talz...O que será melhor?! rs Bjs


Andre Sobreiro disse...
Quando falam manso e tem carinha solicita 24 horas... fico esperto.As piores que conheci tem esse perfil.


Wanda  disse...
Ultimamente eu tive que lidar com gente assim, gente que se faz de vítima. Pensei sobre a forma de manipulaçao que voce falou. Não gosto de pedir pra ler nada no meu blog, mas vou colocar o link do post aqui pra vc ver o que acha. É que lendo o seu post eu pensei no mesmo tipo de gente que eu tava pensando quando escrevi o meu. Bjobjo, tá aqui se quiser ler.

neuzinha disse...
NOSSAAAAAAA... Tenho exatamente a mesma opinião!!!! E adiciono q além de conseguir pessoas q passem a mão na cabeça, esse tipinho q se faz de vítima ainda ganha uma legião de admiradores, pq afinal coitada, ela é tão boazinha... ODEIO isso...


GERALMENTE SAO PESSOAS DESIQUILIBRADA,QUE ADORA SE FAZER DE COITADA E QUE TODO MUNDO SINTA PENA DELA,ELA É CAPAZ DE TUDO PRA SER A VITIMA OU A DONA DA RAZAO,MUITAS DESSAS PESSOAS É ENCONTRADA EM REDES SOCIAIS,NA SUA VIZINHAÇA OU ATÉ MESMO NA SUA FAMILIA,CUIDADO PODE TER UMA VITIMA PERTO DE VOCE.


Comentario
Pensando esses dias cheguei a conclusão de que o hábito de se fazer de vítima, coitadinho, algoz é uma das piores coisas que uma pessoa pode fazer a ela mesma. A auto-piedade gera uma cegueira descomunal nas pessoas, a pessoa praticamente se anula. Quando não conseguimos enxergar nossas próprias sombras e damos um jeito de ficar colocando a culpa em várias outras coisas ou pessoas, perdemos a chance de enxergar em nós mesmos aquilo que estamos fazendo de errado, e aí perdemos a chance de crescer. Você não deve se culpar sempre por tudo, pois isso também é péssimo, mas sempre que ocorrer algo ruim, por pior que seja, pare e reflita: qual é a minha parcela de culpa nisso tudo Conviver com pessoas que se fazem de vítima é extremamente difícil, pelo menos para mim. Acredito que muito desse comportamento vem da criação que a pessoa teve. Uma pessoa que se faz de vítima nunca vai conseguir extrair o seu máximo, nunca encontrará seu poder pessoal, ao menos que um dia assuma essa sombra e trabalhe para ser uma pessoa melhor.

COMENTARIO
Se fazer de vítima não funciona .

Jakeline a mais recente ex-BBB, não convenceu os colegas da 12ª edição do programa nem o público. A jovem de 22 anos teve várias crises de choro, motivadas, entre outras razões, pela saudade que dizia sentir de um galo de estimação e por não conseguir dormir sem o travesseiro que a acompanha desde o berço. Tanto choramingo resultou em uma indicação ao paredão por seus concorrentes e, consequentemente, em sua eliminação. Tentar despertar o sentimento de pena pode, eventualmente, funcionar perante à família, e só. "As pessoas aprendem maneiras de agir que cabem dentro do sistema familiar. Porém, fora de casa, as pessoas não estão acostumadas com isso e veem com maus olhos."Quase sempre, quem se faz de vítima desperta a raiva e a irritação nas pessoas, e não a compaixão. "O tiro sai pela culatra". Essa característica costuma fazer parte de pessoas "inseguras, com baixa autoestima e que não conhecem o próprio potencial."
Essas pessoas têm dificuldade em todos os aspectos da vida, devido à postura imatura. "Ao agir dessa maneira, o indivíduo é visto como chato, de difícil convivência". "A autopiedade não é uma forma adulta e responsável de agir. Quem se sente uma vítima das circunstâncias não se responsabiliza pela própria vida e terá problemas nas relações profissionais, amorosas e com os amigos".


COMENTARIO

Pensando esses dias cheguei a conclusão de que o hábito de se fazer de vítima, coitadinho, algoz é uma das piores coisas que uma pessoa pode fazer a ela mesma. A auto-piedade gera uma cegueira descomunal nas pessoas, a pessoa praticamente se anula. Quando não conseguimos enxergar nossas próprias sombras e damos um jeito de ficar colocando a culpa em várias outras coisas ou pessoas, perdemos a chance de enxergar em nós mesmos aquilo que estamos fazendo de errado, e aí perdemos a chance de crescer.Você não deve se culpar sempre por tudo, pois isso também é péssimo, mas sempre que ocorrer algo ruim, por pior que seja, pare e reflita: qual é a minha parcela de culpa nisso tudo?Conviver com pessoas que se fazem de vítima é extremamente difícil, pelo menos para mim. Acredito que muito desse comportamento vem da criação que a pessoa teve. Conheço pessoas assim e geralmente o comportamento dos pais dessas pessoas é muito similar. Os pais muitas vezes super-protegem esses filhos, acham que eles nunca estão errrados e sempre tentam poupá-lo de tudo. Com certeza esses são pais que criam seus filhos para eles mesmos, ao invés de criar seus filhos para o mundo.Muito se fala em deixar um mundo melhor para os nossos filhos, mas pouco se fala em deixar filhos melhores para o nosso mundo. (Autor desconhecido)Se você quer um mundo melhor, tome cuidado e preocupe-se em deixar filhos melhores para o ele. Agora, tirando a parcela de culpa que é dos pais, esse filho não pode culpar seus pais para sempre por ser assim. O primeiro passo é assumir esse comportamento e aceitar que ele realmente o pratica, mas esse é apenas metade do caminho. A outra metade seja talvez mais difícil, que é justamente trabalhar para não repetir esse comportamento.

Todo aprendizado possui 4 níveis:
1º) Inconsciente - Incompetente
2º) Consciente - Incompetente
3º) Consciente - Competente
4º) Inconsciente - Competente

Quer ver como funciona? Lembre-se de quando você era criança e não fazia a mínima idéia de que era importante saber ler, você estava no primeiro nível. Quando passou a entender que se não soubesse ler, você não poderia ler o jogo de tabuleiros e assim não poderia brincar com seus primos, a partir desse momento você tomou conhecimento dessa importância, mas ainda era incompetente. E então passou a ir à escola e a estudar e finalmente aprendeu a ler, pronto! Você já era Consciente e Competente. E hoje você está lendo este blog e nem percebe que está lendo pois se tornou um processo natural, após muito treino.Assim funciona com todos os nossos comportamentos. Por isso o primeiro passo para a vítima é reconhecer sua culpa e para de culpar os outros por seus erros. Uma pessoa que se faz de vítima nunca vai conseguir extrair o seu máximo, nunca encontrará seu poder pessoal, ao menos que um dia assuma essa sombra e trabalhe para ser uma pessoa melhor.




COMENTARIO.
Vítimas e Relacionamentos Não Combinam.

Para que o relacionamento seja verdadeiramente agradável, efetivo, jovial e desejado por ambas as pessoas, ele têm que ser emocionalmente saudável. Isso ainda não significa que você não tenha algumas outras questões a solucionar - isso faz parte da vida. Significa que você não está vivendo uma vida como vítima de experiências passadas nem que continua recriando mais experiências de vítima. Se você quer ter uma relação vibrante, não pode ser uma vítima e não pode sentir-se com vítima. A Lei da Atração diz que nós temos aquilo que nós pensamos, queiramos ou não. Assim se você tiver medo de ser uma vítima, vai ter energia de vítima e vai atrair um vitimizador. Ou então vai perceber o que alguém faz a você para transformá-lo em vítima. Deixe que eu lhe dê um exemplo pessoal. Tenho um amigo de infância que teve algumas experiências dolorosas durante seu crescimento. Ele se sentia uma vítima naquela época. À medida que crescia, para chamar atenção para si, provavelmente de forma inconsciente, assumiu o papel de "vítima". Mulheres se achegavam a ele para cuidar dele, para criá-lo e para salvá-lo. Tudo poderia estar certo, se ele não precisasse continuar usando a fantasia de vítima e se divertindo com as experiências de vítima - no dia a dia. E ele tentava atrair as pessoas para o vitimizarem. Interpretava tudo pelo filtro de vítima. Assim se você dizia que não podia fazer algo que ele queria, então ele ficava decepcionado e logo atuava no papel de "Pobre de Mim". Por exemplo: se ele ligava num dia quando você estava super ocupado e não podia falar, ele o chamava de indelicado. Ele também atraia as pessoas que tiravam vantagens dele. Lembre-se: você atrai o que você pensa, queira ou não. Se você vive ao lado de alguém que se vê como vítima, e vive como uma vítima, então você sabe que ele tem uma existência preenchida de miséria e drama. Sua vida é todo um drama e você não pode ter uma relação normal e saudável com ele. E essa pessoa não está vivendo verdadeiramente como um ser humano poderoso conectado a uma pura e positiva energia.
 Este é o lugar onde você quer estar e onde quer que a outra pessoa esteja?
O aspecto mais importante de estar ao lado de uma vítima não é conspirar com eles. Procure não vê-los como vítimas. Não os mantenha nessa vibração. Pois é assim que eles se vêem. É assim que eles pensam que querem ser, porque é assim que eles costumam chamar a atenção. É a sua rotina "Pobre de Mim". Não entre nessa. Que tal vê-los como criativos, diligentes e inteiros?
Que tal ajudá-los a aprender como realmente querem ser na vida e que o papel de vítima foi uma escolha durante algum tempo e que podem escolher abandoná-lo agora?
Assumindo esta posição você não é atraído pelas suas energias de vítimas e poderia lhes encorajar a mudarem suas perspectivas, mudar na direção de cumprir um novo papel.
 Você é Uma Vítima?
Até agora eu tenho falado sobre outras pessoas que são as vítimas. E se você se vê como uma vítima?
Isto está bem dentro do meu coração, porque eu me via também como uma vítima. E asseguro: eu tive experiências que me levaram a olhar e sentir como uma vítima.
Então num certo dia um velho e sábio índio americano disse para mim: "Você pode ser uma vítima de suas circunstâncias ou ser vitorioso na sua aprendizagem." Amei aquela perspectiva. Fez-me sentir tão enaltecida e poderosa. Percebi que eu tive uma escolha. Daquele momento em diante eu sempre busquei ser vitorioso. Durante as Olimpíadas de Pequim, a atleta americana Lolo Jones estava correndo a prova de 100 metros, na qual era franca favorita. Ela estava liderando a corrida quando perdeu a atenção por um mísero segundo, quando saltava a última barreira. Isso foi o suficiente para alterar o seu o ritmo do seu passo e ela terminou longe das medalhas.
Depois da corrida - com postura vitoriosa, não de uma vítima - disse que ela começou a sentir o ouro pendurado no seu pescoço e isso causou sua perda de foco durante um único segundo. Quando você está saltando barreiras aquele segundo é tudo o que conta. Ela não é uma vítima. Ela pode não tem ganhado aquela medalha, mas sabe o que fez e extraiu daí uma aprendizagem poderosa que estará com ela para o resto da sua vida. Vítimas perdem as oportunidades de aprender.
 Como Você Pode Ser Vitorioso?
Se você se vê como uma vítima ou se coloca como uma vítima dos outros, como pode mudar isso? Antes que eu lhe diga como mudar, quero lhe pedir que não seja muito duro consigo, se tem sido uma vítima. Às vezes, quando nós percebemos que criamos esta situação, podemos ficar transtornados conosco mesmos. Fuja disso. Você não conhecia outro jeito de ser. E agora eu estou mostrando outro modo. Assim comece com a "Mentalidade dos Iniciantes" - aberta e curiosa, como se você estivesse recomeçando sua vida. E você está. O primeiro passo é deixar de ser o centros das suas próprias atenções. Seu ego é a parte crítica de sua mente. O ego da vítima é cruel, crítico, perfeccionista e judicioso. Você pode visitar as edições do e-zine do meu site e ler o artigo publicado em 18 de maio de 2004 - "What Is Your Negative Self-Talk Doing to You" (O que Seu Diálogo Negativo Consigo Mesmo Faz Para Você) e em 29 de junho de 2006 - "How Your Ego Holds You Hostage" (Como Seu Ego o Mantém Refém), para seguir as dicas de como acalmar a voz do seu senso crítico. Seu ego é sua voz crítica. A verdade nem sempre é mesmo a sua, provavelmente é a expressão do pai, da mãe, de um irmão ou dos professores. Não preste atenção nisso. Seja amável com você mesmo. Fale com você do modo que uma mãe amorosa e sábia gostaria de falar. Segundo: Deixe de se ver como uma vítima. Comece a se lembrar de coisas boas que aconteceram a você em sua vida. Sentir-se vítima tem a ver com não olhar para as coisas boas ou não dar-lhes o devido destaque ou ter o olhar tão voltado para os fatos "ruins" que eles não prestam atenção às coisas "boas." Terceiro: Preste atenção nas suas atitudes inconscientes que podem colocá-lo no lugar de vítima. Se você sabe que um amigo não é responsável, não lhe peça que alimente seu gato durante as suas férias. Se seu assistente não tem habilidade de lidar com pessoas, não lhe peça que atenda seus clientes. Se seu namorado sempre se atrasa, não peça a ele que a leve ao aeroporto para pegar seu próximo vôo. Não conspire contra si mesma! Este é um modo enganoso, porque você foi inconscientemente levado a fazer isso durante algum tempo. Se as sensações de vítima ainda estão ocorrendo é porque você ainda está agindo assim. Agora lembre-se: seja gentil com você. Você está no caminho certo de mudar. Quarto: Não torne os outros suas vítimas. Sei que você está dizendo "eu nunca faria isso". Mas eu garanto a você que as vítimas em algums momento, mesmo que inconscientemente, vitimizam outras pessoas. Mesmo que seja um julgamento, uma crítica ou um diálogo rude com outra pessoa. E se você vitima alguém inconscientemente, então vai se sentir mal realmente mal. Nesta perpectiva você atrairá para si mais experiências de vítima. Assim sendo, tenha consciência do seu comportamento. E se você vitimou os outros, do modo que for, perdoe-se. Eu não estou dizendo para perdoar o que você fez; Estou dizendo para perceber que você não sabia o que estava fazendo. Você estava vivendo numa perspectiva de vítima e estava inconsciente. Você estava ferido e reagia com base naquela ferida.
Aqui vai um pequeno e adorável pensamento que repito diariamente:
 "Eu invoco a Lei do Perdão para mim e para todo o gênero humano, para todos os enganos, pela energia desperdiçada, pela inconsciência humana e por vaguear longe da luz." Nós estamos todos tentando fazer o melhor do nosso modo. Nós cometeremos equívocos, agiremos inconscientemente e longe da luz.
 E nós podemos nos voltar na direção luz e sentirmos vitoriosos em nossa aprendizagem.  E nós podemos nos sentir orgulhosos de nós mesmos e desse modo atrair as mais maravilhosas experiências das nossas vidas! É uma escolha. Você pode ou ser uma vítima de suas circunstâncias ou uma pessoa vitoriosa em sua aprendizagem.

Escolha ser uma pessoa vitoriosa!


COMENTARIO.


A grande dificuldade na nossa vida é admitir que somos responsáveis por tudo que constitui nosso mundo. É mais confortável nos colocar no papel de vítimas das circunstâncias. É preciso mudar essa concepção, o mais rápido possível, a fim de que possamos dirigir nossa vida rumo ao que nos interessa de verdade.A verdade é que todos nós passamos por problemas e dificuldades complicadas, muitas vezes sem esperanças de solução, uma vez que olhamos somente o lado negativo dos acontecimentos acabamos nos colocando no papel de vítimas e atraímos mais problemas e dificuldades para nossa vida, realimentando constantemente os motivos para que tudo isso continue da forma que está, sem espaço para mudança. A única coisa que uma pessoa ganha se colocando no papel de vítima é atenção. Isso é tudo que a maioria das pessoas almeja e o que faz com que elas vivam em busca de atenção é o fato de confundirem atenção com amor.É praticamente impossível ser feliz e bem sucedido na vida quando se está o tempo todo precisando de atenção. Por causa dessa necessidade, quem está sempre querendo agradar para conseguir aprovação costuma ficar à mercê dos outros. É essencial dissociar a atenção do amor por vários motivos: a pessoa fará mais sucesso; será mais feliz; poderá encontrar seu verdadeiro amor e poderá atingir a prosperidade e a riquesa. Aqueles que confundem amor com atenção não se amam e sim amam tudo o que fazem por ele. Dissociando a atenção do amor, a pessoa se liberta para amar o outro pelo que ele é, e não pelo que ele faz para a pessoa.É hora de decidir, você pode ser uma vítima das circunstâncias ou alguém rico, jamais as duas coisas ao mesmo tempo. Toda vez que culpar alguém, se justificar ou se queixar, estará se degolando em termos financeiros.É hora de resgatar seu poder interior e reconhecer que você cria seu mundo a sua volta, tudo que existe e o que não existe na sua vida. Você produz riqueza, a falta da riqueza e todas as possibilidades que estão no meio do caminho.Todos estão sujeitos a Lei da atração. Aquilo que você pede verbalmente à vida não importa tanto quanto aquilo que você acredita poder obter dela. Pare e pense um pouco sobre o modo como você se sente perante a vida. Você se vê como vítima das circunstâncias ou como dono de seu destino?
AFIRME: EU MESMO CRIO O MEU PRÓPRIO GRAU DE SUCESSO, FELICIDADE E AMOR AO MEU REDOR.
Sucesso e uma ótima semana a todos...


 DEPOIMENTO
                                                      Vítima Por Opção!

Acredito que todos concordam comigo, que pelos próprios fantasmas internos que insistimos em carregar pela vida afora, na maioria das vezes é extremamente difícil para um grande número de pessoas, concretizar a necessidade de mudança. Mas sabemos também que em algumas situações, o mais saudável, é realizarmos as mudanças que se fazem necessárias, mesmo que para isso, tenhamos que nos esforçar muito.Por outro lado, existe um número cada vez mais crescente de pessoas que apresentam uma imensa dificuldade e quase intransponível resistencia, diante da possibilidade e até mesmo da necessidade de mudar. Esta dificuldade se faz presente nas mais variadas situações, e a resistencia aparece de inúmeras formas: algumas quase imperceptíveis, e outras, incrivelmente claras.Muitas vezes, por exemplo, a pessoa se recusa a concretizar uma mudança, e viver melhor, pelo simples e aparentemente estranho hábito que adquire, de sempre se apresentar insatisfeita, como se a insatisfação demonstrada exteriormente significasse na verdade, por mais descabido que nos possa parecer, uma plena satisfação interior. Ou seja, o "estar insatisfeito" se enraíza no dia a dia destas pessoas de tal forma, que passa a fazer parte delas. Anúncios Google Este tipo de situação é facilmente perceptível em pessoas que se posicionam na vida sempre como vítimas, "coitadas", necessitadas de serem amparadas e merecedoras de serem ajudadas pelo outro. Ou melhor ainda, por todos os que se relacionam com ela. Costumam gastar uma energia imensa, para sempre permanecerem no centro das atenções. Aliás, para ser mais exata, como centro das preocupações.É muito fácil identificar estas pessoas, pois constantemente relatam com riquezas de detalhes incontestáveis, motivos completamente justificáveis para estarem reclamando de alguma situação ou de alguém.É um comportamento característico de pessoas com baixa auto estima, pois desenvolvem a necessidade de sempre apresentarem problemas na vida, como se acreditassem que só assim conseguirão ter atenção e aceitação das pessoas que as rodeiam.É interessante constatar também, que estes "coitados" nunca nem ao menos tentam se fazerem gostados e aceitos por qualidades ou capacidades que possam ter, pois chegam a ponto de camuflar e até mesmo anular estas qualidades, tamanho o hábito que adquirem de sempre serem vítimas. Coitados!Assim, passam a vida inteira sempre se envolvendo em situações problemáticas, ou seja, constantemente tendo motivos aparentemente aceitáveis para reclamarem. Aliás, ao que parece, é justamente isso que lhes proporciona imenso prazer, ou seja, reclamar, reclamar...Dificilmente conseguem assumir as rédeas do seu destino, pois, "coitadas" sempre são "vítimas" de alguma "injustiça", e é lógico que sempre provocada por alguém.
Nunca conseguem assumir responsabilidade pelas intempéries das quais se sentem vítimas, não fazem nada para resolver os seus problemas, já que isto foge a sua vontade e capacidade.Vai aí uma dica para essas pessoas: ser admirado é muito mais agradável do que ser coitado! Que tal extinguir o hábito de reclamar e tomar a decisão de resolver?



COMENTARIO..

Assumir o papel de vítima coloca seu equilíbrio em risco Não caia na tentação de se fazer de coitadinho; às vezes a gente age assim por comodismo, se você tem essa tendência, mude já sua postura Se fazer de vítima pode destruir sua autoestimaSe você costuma assumir o papel de vítima das circunstâncias, saiba como dizer não a ações que só servem para diminuí-lo. ...pensar em si mesmo como fraco/incapaz/burro/pouco atraente, ao se comparar a outras pessoas. É melhor não se comparar. ...permitir que os outros a façam se sentir inferior. ...achar que vai fracassar numa coisa antes mesmo de tentar. ...colocar seus desejos e sonhos sempre em ultimo lugar. ...deixar que os outros determinem o que deve fazer. ...evitar responsabilidades por achar que os colegas farão o trabalho melhor do que você. Acredite no próprio potencial. ...preocupar-se com a opinião alheia. Nem sempre é sincera. ...esperar que todo mundo sempre goste de você. ...ficar preocupado ou deprimido quando não concordam com a sua opinião ou quando discorda de alguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário